Governo Provincial de Benguela
Educação

Reitor da Universidade Bwila empossa 36 novos responsáveis

Trata-se de Manuel Francisco Bandeira, Augusta Domingas e Aurélio Longue Palanga, investidos para exercerem as funções de decano do Instituto Superior de Ciências da Educação de Benguela, vice-decana para Área Académica e vice-decano para Área Científica do ISCED, respectivamente.

O reitor conferiu ainda posse a outros sete directores gerais, 18 chefes de departamentos, seis de repartição e dois de secções da Universidade Katyavala Bwila.

Na ocasião, os empossados juraram ser fiéis à pátria, cooperar na realização dos fins superiores do Estado, defender os princípios fundamentais da ordem estabelecida na Constituição, respeitar e fazer respeitar as leis e dedicar ao serviço público todo o zelo, inteligência e aptidão.

Ao intervir na cerimónia de tomada de posse, o reitor Albano Ferreira considerou o compromisso de honra assumido pelos responsáveis importante, pelo que devem cumprir as suas obrigações, de acordo com as normas legais orientadoras do Ensino Superior no país.

O responsável apelou para o empenho e dedicação no exercício das funções para as quais foram empossados, visando o alcance dos objectivos traçados, que passam pela formação de quadros para o desenvolvimento do país.

Aproveitou ainda a oportunidade para aconselhar os empossados ao espírito de humildade no cumprimento dos objectivos fundamentais do ensino superior.

Sedeada na província de Benguela, a Katyavala Bwila é uma das universidades públicas criadas em 2009 pelo Executivo para a expansão do ensino superior e integra a província do Kwanza Sul, por meio da região académica II.

Direito, Medicina, Economia, Psicologia, Pedagogia, Educação Especial, História, Matemática, Geografia, Linguística Portuguesa, Inglesa e Francesa, a par de Informática e Engenharia Mecânica são os cursos ministrados nesta instituição universitária.

O rei Katyavala, um dos soberanos do planalto, foi a personalidade histórica escolhida para denominar a Universidade da II região académica, de forma a valorizar a história, a unidade nacional e exaltar a educação patriótica.

 

 

Fonte:Angop