Governo Provincial de Benguela
Saúde

Embaixador japonês doa máquina para tratar cataratas

Uma máquina "CV9000R" para tratar cataratas e lentes intra-oculares, foi doada segunda-feira, 16, ao Centro Oftalmológico de Benguela, pelo embaixador do Japão em Angola, Hironori Sawada, no âmbito do programa de assistências de projectos comunitário e de segurança humana de cooperação entre os dois países.

Ao falar no acto de entrega, o embaixador japonês afirmou que o seu governo doou, também, cem mil dólares para o Centro Oftalmológico e ao Hospital Geral de Benguela, para instalação de aparelhos cirúrgicos, com vista a tratar cataratas.

Segundo o diplomata, o aparelho instalado no Centro oOtalmológico terá capacidade de fazer 100 cirurgias de cataratas por dia, com uma transparência de tecnologia de alta qualidade do Japão, que é uma parceria com empresas japonesas, como "Rohto Pharmaceutical".

Hironori Sawada afirmou que esperar que esta actividade venha a contribuir, significativamente, no crescimento do sector de Saúde, considerando fundamental o instrumento para o desenvolvimento humano e o progresso sustentável.

Referiu que, neste sentido, o governo do Japão tem apoiado projectos comunitários em Angola, desde 1990, em sectores como a Educação, a Saúde, Infra-estruturas e desminagem, totalizando um valor de nove milhões de dólares americanos.

O embaixador deu a conhecer que o governo do Japão tem focalizado o seu esforço no sector da segurança humana, como uma das prioridades de sua cooperação japonesa em Angola.

Por seu lado, o vice-governador cessante de Benguela para a área económica, Gika Morais, indicou que governo de Angola tem estado a aumentar a sua cooperação com o Japão e, com a doação deste equipamento para o tratamento de cataratas, vem reforçar, ainda mais, as competências do Centro Oftalmológico de Benguela, que tem estado a realizar muitas cirurgias, quer para os angolanos como para países vizinhos.

O director provincial da Saúde em Benguela, António Manuel Cabinda, salientou que, desde a inauguração do Centro até à data, foram já realizadas 41 mil cirurgias de cataratas, pelo que impunha a substituição do material.

Explicou que o Centro também tem uma lista de espera considerável, e que, com este equipamento, está em condições de dar resposta à procura dos serviços, aumentando de 50 para 100 o número de cirurgias diárias.

Acrescentou que o Centro Oftalmológico e o Hospital Geral e Benguela deram início a um processo de formação especializada de paramédicos, visto que, para além de médicos cubanos que o sector possuía, actualmente conta, também, com médicos angolanos que já estão a realizar cirurgias.

 

Angop

Galeria de Imagens